Empresas incentivam funcionários a fazerem cursos de atualização

cursoscorporativos

[05-10-2015]

O medo de perder o emprego por conta da crise tem deixado muitos funcionários apreensivos. E para evitar o pior, muitos correm atrás de novos empregos que lhe proporcionem mais estabilidade ou fazem cursos de atualização para serem melhor aproveitados pelas empresas onde trabalham.

E esta segunda opção foi bastante discutida durante a 41ª edição do Conarh, que aconteceu este mês no Transamérica Expo Center. Em vez de gastar com novas processos seletivos, empresas têm investido em cursos para aprimorar os talentos dos seus funcionários e, dessa forma, unir forças para superar a crise.

O iPED – Instituto Politécnico de Ensino à Distância apresentou em seu stand a Universidade Corporativa online. O sistema possui mais de 500 opções de cursos prontos em mais de 40 áreas de conhecimento. Dependendo do número de funcionários o curso pode sair a R$ 2,00 por participante. E as empresas podem acompanhar a frequência e desempenho dos funcionários matriculados por meio de gráficos e relatórios.

Fábio Neves, fundador e diretor do gripo iPED, conta que a universidade corporativa conta com mais de 1200 empresas cadastradas atualmente e todo dia mais de 5000 novas pessoas acessam o sistema. As áreas mais procuradas são administração, informática, idiomas, gestão, recursos humanos e vendas.

“Com o cenário da crise no Brasil, as empresas precisam aumentar a produtividade, reter talentos e criar novas ideias, e isso demanda competências novas e agilidade por parte das empresas”, diz Fábio Neves. “Através dos treinamentos online é possível desenvolver as pessoas, suprir esses gaps de competências e mantê-las engajadas e motivadas com os objetivos organizacionais, com custos menores e de forma mais rápida”, completa.

Além de oferecer atualização profissional, os cursos podem avaliar oito competências do funcionários, como liderança, organização, colaboração e empreendedorismo. Dessa forma, a empresa adquire insights sobre como aproveitar melhor as habilidades de cada colaborador e ainda compará-los com outros membros da equipe.

Iniciativa melhora relação entre empresa e funcionário

A Benner, pioneira no segmento de software de gestão empresarial, também acredita que ferramentas que suprem a necessidade de capacitação dos profissionais é uma boa saída para manter saudável a relação entre empresa e funcionário. Cada curso é desenvolvido de acordo com a necessidade da empresa e pode ser realizado de maneira presencial ou online, dentro do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do cliente ou da própria Benner.

As aulas são interativas, com exercícios teóricos e práticos, atividades com participações em fóruns, games, avaliações, pesquisas de satisfação e emissão de certificados automáticos.

Marcelo Henrique Curbete, gestor de RH e Educação Corporativa – EAD da Benner, explica que o sistema pode ser configurado para apontar as competências que o funcionário deve ter para exercer determinada função. A partir dái, mostra os gaps e sugere os cursos. “Por exemplo, na competência comunicação você cadastra a necessidade de um curso sobre nova ortografia ou sobre comunicação verbal ou até mesmo comunicação empresarial. Desta forma, quando sai o relatório já aparecem as indicações de cursos para aquele colaborador, cuja posição tenha como pré-requisito a competência de comunicação”, explica.

Caso a empresa tenha uma ferramenta para Gestão de Desempenho, também desenvolvida pela Benner, ela pode ser integrada à de Educação Corporativa. Desta forma, a empresa identifica se o colaborador esta aquém de algum tipo de competência, tanto do ponto de vista comportamental, como técnico, de acordo as metas estabelecidas. Todas as informações, inclusive os cursos realizados, ficam registrados na base de dados e podem embasar o próximo feedback. “Assima empresa pode verificar se um funcionário que tinha um gap fez o curso sugerido e conseguiu reduzir a deficiência que tinha na avaliação anterior”, finaliza Curbete.

 

Fonte: Mundo Carreira

Se eu fosse Ministro da Educação, eu faria o seguinte a propósito da EAD …

Segundo o Conselho Nacional da Educação, 66% dos municípios brasileiros não têm oferta de ensino superior. Todos sabem que a EAD no Brasil cresce na dianteira do ensino presencial, que aqueles formados pela modalidade alcançam resultados mais significativos em relação aos que estudaram convencionalmente e que a aprendizagem a distância contribui para a democratização do conhecimento avançado num país onde essa porcentagem nos envergonha.

É muito comum no Brasil que responsáveis por “supervisionar”, “monitorar”, “regulamentar” ou “decidir” sobre a alocação de recursos que envolvem a EAD, saibam pouco sobre a história, a natureza, os verdadeiros benefícios e sucessos mundiais já alcançados pela aprendizagem a distância. Então, nada melhor do que uma “ajudazinha” por parte daqueles que mais entendem do assunto: membros da comunidade de profissionais de EAD do país. Assim, a ABED quer estimular seus associados (e outros interessados) a pensar com ousadia, imaginação e espírito desafiador sobre medidas que um Ministro de Estado poderia adotar para catapultar a EAD a uma posição de real destaque, contribuindo para o crescimento qualitativo de Educação no país.

Lembramos que o 21° CIAED, como em edições anteriores, aceitará trabalhos científicos, apresentações, mesas-redondas e minicursos sobre todo o grande leque de assuntos envolvendo a prática da EAD. Mas sugerimos essa opção para incentivar contribuições a propósito de possíveis ações por parte do atual e de futuros Ministros da Educação do Brasil, a fim de promover a expansão, a qualidade e o papel de “inclusão” que a EAD representa dentro e fora do país, em todos os níveis de aprendizagem. Além do elenco de eventos oferecidos pelo XXI Congresso, a Comissão de Programação decidiu realizar uma captação de ideias. Uma comissão julgadora especial selecionará os três melhores textos submetidos à aprovação (os quais não devem ultrapassar o limite de 500 palavras cada), que serão contemplados durante o encontro em Bento Gonçalves/RS. Os textos submetidos devem ser encaminhados, via e-mail, ao endereço papers@abed.org.br, até 31 de agosto de 2015. Havendo grande interesse nessa ação, será possível realizar uma ou duas mesas-redondas sobre o tema proposto para o evento. No site da ABED serão publicadas todas as ideias que a comissão julgadora considerar de valor.

Cérebros à obra!

 

Fredric M. Litto
Presidente da ABED

Fonte: http://www.abed.org.br/hotsite/21-ciaed/pt/apresentacao/

Read more
Pages:«123